Dicas de Criação

MANEJO ANIMAL
Vacinar é preciso
A vacinação é fundamental para prevenir doenças e garantir a saúde do seu animal

No que diz respeito à saúde do cavalo, um dos pontos de extrema importância é o calendário de vacinação. Daí a necessidade de um eficiente cronograma de vacinação para que sejam evitadas muitas doenças graves, como o tétano, por exemplo. Mais do que apenas vacinar, um programa de controle e prevenção de doenças infecciosas deve também visar a redução da quantidade de agentes causadores de doenças no meio em que os animais vivem. Isso pode ser obtido através da higiene e limpeza.

A queda da resistência imunológica do animal também deve ser reduzida ao máximo, de forma a tornar o programa de vacinação mais eficiente. Toda vacina destina-se a estimular o sistema imunológico do animal para dar a ele condições de se defender do agente causador da doença. Os microorganismos patogênicos são mortos ou atenuados tornando-se incapazes de provocar a doença propriamente dita.

No entanto, eles ainda contêm os antígenos, proteínas que, ao serem introduzidas no organismo, estimulam a produção de anticorpos específicos, levando à imunidade contra aquele agente patogênico. Dessa forma, ao ser defrontado com a doença, o animal não apresentará sintomas clínicos, ou os terá de maneira muito atenuada.

Em um estabelecimento eqüestre, a vacinação é obrigatória. Ela tem baixo custo, facilidade de aplicação e baixa incidência de efeitos colaterais. "Toda vacina destina-se a estimular o sistema imunológico do animal para dar a ele condições de se defender do agente causador da doença". Abaixo, conheça a melhor época de vacinar seu cavalo.

A tabela é dividida por doença, idade do animal (potros de até um ano), cavalos jovens, cavalos de esporte, cavalos de lazer e égua de cria, com os respectivos comentários:

Tétano
1ª dose: 3-4 meses, 2ª dose: 4-5 meses - Anual - Anual - Anual - Anual
4-6 semanas antes do parto - Melhor administrar combinação com encefalomielite e influenza

Encefalomielite eqüina
1ª dose: 3-4 meses, 2ª dose: 4-5 meses - Anual (primavera) - Anual (primavera) - Anual (primavera) - Anual
4-6 semanas antes do parto - Melhor administrada em combinação com tétano e influenza

Influenza eqüina
1ª dose: 3-6 meses, 2ª dose: 4-7 meses, 3ª dose: 5-8 meses - repetir a cada 3 meses - A cada 3 meses - A cada 3 meses - Semestral com reforço antes da exposição - Ao menos semestral com reforço 4-6 semanas antes do parto - A imunização primária de potros exige uma série mínima de 3 doses

Rinopneumonite
1ª dose: 2-3 meses, 2ª dose: 3-4 meses, 3ª dose: 4-5 meses repetir a cada 3 meses - A cada 3 meses - A cada 3 meses - Opcional semestral - 5º - 7º - 9º mês de prenhez com vacina EHV-1 inativa.
Recomenda-se também a vacinação das éguas antes da cobertura e 4-6 semanas antes do parto (EHV-1 e EHV-4)

Raiva
1ª dose: 3-4 meses, 2ª dose: 4-5 meses - Anual - Anual - Anual - Anual
Antes da cobertura - Vacinação recomendada naquelas regiões onde há incidência de raiva em animais silvestres

Garrotilho
1ª dose: 8-12 semanas, 2ª dose: 11-15 semanas, 3ª dose: 14-18 semanas, 4ª dose: na desmama - Semestral - Opcional semestral (quando houver grande risco) - Opcional semestral (quando houver grande risco) - Semestral com uma dose 4-6 semanas antes do parto.
Utilizar em circunstâncias de elevado risco de infecção.

Obs: Antes de seguir a tabela acima, procure um profissional ou cooperativa para confirmar a incidência e épocas de vacinação regional. Fique atento a possíveis epidemias e endemias para que sejam aplicadas doses de reforço ou preventivas.

Por Taciano Couto Guimarães
Fonte: Revista Horse Business 05/2000


Publicada em 08/11/04 - 3790 visitas

Voltar
© Copyright 1987-2018 Triple G Stud Farm — Design e Desenvolvimento por Adriano Oliveira